quinta-feira, 23 de junho de 2011

Ventania


No calor sufocante
Deixo mágoas o vento levar...
Talvez não seja tão simples;
Talvez eu tenha que esperar.

O vento tão sublime, 
Não tem culpa de meus pecados,
Não tem culpa do grande amargo
Da enorme decepção.

Queria tão pouca compreensão...
Obtenção de valores e atos.
Esquecer o passado; largar da nostalgia.

Arrependo-me de tantas coisas,
Coisas que eu não deveria ter feito,
Pensando que fosse perfeito...
Falsa ilusão.

Falta-me aceitar e esquecer...
Tamanha a complexidade que terei de compreender
Onde a ventania do meu vento...
Há de trazer.

Por: Carolina Fontana