quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Voltando das cinzas



Essas crises imaturas

Não sei e nem imagino qual é a maneira mais correta de demonstrar aquilo que estou sentindo, e sinceramente? Nem mesmo eu sei o que estou sentindo. Está tudo um tanto que confuso.
Soa repetitivo e até mesmo clichê eu dizer que estou em “crise emocional” (até porque todo adolescente com sérios distúrbios – todos – de maturidade está). Mas... Aqui vou eu: conhece aquela velha e boa história do “amor não correspondido?” ou então “a história da garota que se apaixonou perdidamente por seu amigo?” Pois essa não sou eu, ou melhor, eu ACHO que não sou eu e é exatamente isso que está me deixando maluca.
Bom, se você leu este desabafo desde o início deve estar um tanto quanto confuso, mas não se preocupe, pois eu também estou!
Corro atrás, dou o melhor de mim e o que eu recebo em troca? Sou ignorada. Não que isso me atinja ou algo do tipo, entretanto, me machuca. Mesmo que eu não queira assumir, mesmo que seja muito difícil de assumir, machuca.
Sabe qual é o problema da maioria das garotas de hoje em dia? É que elas sonham demais com os carinhas dos filmes e séries e, no meu caso, com os carinhas dos livros e seus respectivos romances. Infelizmente as coisas não são tão simples assim, aliás, as pessoas não são tão simples assim.
Eu poderia escrever infinitos parágrafos sobre a confusão sentimental que estou passando, porém acho desnecessário. Como eu sempre digo: minha missão é outra! E com certeza, principalmente esse ano, ter um relacionamento não está dentro dela. E é com essa informação que eu me iludo diariamente.

PS.: Tirem suas próprias conclusões.